quinta-feira, 24 de agosto de 2017




seu grande problema é o dinheiro
o maestro e sua melodia caótica
seus quatro filhos
uma mãe à beira da loucura
uma ex-mulher com as mesmas características
até mesmo astrológicas

o maestro e sua melodia caótica
seu grande problema é o dinheiro.




ela sabia.
eu era criança.
minha irmã que mandou.
-- é só pegar a maçã.
-- cadê o dinheiro?
-- não precisa de dinheiro,
é só pegar a maçã.
era eu e a ana.
o cara pegou a gente.



ele não tem saído muito
está chovendo
quando alguém passa
ele olha dentro dos olhos
parece enxugar palavras do céu.




eu cheguei na sala
e o gato estava olhando meu pai
meu maior medo era ver se meu pai
estava respirando ou não 
amanhã quem vai fazer isso
pela gente?

domingo, 7 de maio de 2017




a paul auster
coagula e em frente
não finja o desespero
que não teceste
na ranhura de terra
e lama seca


corta a carne no lugar certo
mastiga o fígado de pedra
que te leva
e te protege
do frio que não mata.

quinta-feira, 27 de abril de 2017





arrastava-se uma tarde 
de sol e de nuvens
a moça de pele atada
e sorriso fácil
não via as paredes se comprimindo
a sutileza se movimentando
no caderninho em cima da mesa
seguia a tarde impalpável
amena 
o par de cadeiras juntas e vazias
curioso
como suas sombras se tocavam no chão
as sensibilidades se fundem
suspiros e versos.


(sidney machado e tayná wolff)

sábado, 15 de abril de 2017





propósitos e álcool
eternos vislumbres e acrobacias
da anca para a nuca
estudos de gestos, ocasiões e relevos
para que não sucumbas
em preâmbulos e tabelas.
para que percebas
a moeda de troca,
o contrato eterno que assumes
sem perceber a forma, a palavra
e as imagens ocultas naquele rosto.  
para que sejas isso:
enigmas, luzes e entreatos
nos olhos e nas mãos.